28 de fevereiro de 2018

Gantz vs Berserk - Exposições



Qual deve ler? 

OS DOIS! Sim, tanto Gantz quanto Berserk são duas grandes obras, leia os dois, (Gantz será mais fluido, Berserk mais pesado na leitura em alguns momentos, mas valerá cada segundo) compara-los é até inocente, mas em breve explico porque vejo tal NECESSIDADE.

Vamos lá, sem enrolações: Por que Gantz é melhor que Berserk? Vou ser direto neste assunto, para não parecer usar de Sofismas tentando provar uma falsa visão.


Para provar dividi as obras em algumas interseções denominando-as de Os 7 FUNDAMENTAIS:

Plot Central
Personagens
(Principais, Coadjuvantes e Antagonistas)
Diversidade
Condução
Arte (Traço, Cenário e cenas em geral)
Originalidade
Roteiro

Os Sete Fundamentais evidenciam o melhor das obras, e pontuei em notas de 7 à 10, pois bem... Vamos lá:

Plot Central - Seria o núcleo base da obra, o enredo FUNDAMENTAL, que sem ele não seria POSSÍVEL a existência da obra. Está intimamente ligado com Condução e .Roteiro.

Neste caso ficaria 10-8 para Berserk, evidentemente a base da história e os altos e baixos são mais profundos e até derradeiros do que Gantz. Pelo menos até a metade. Acredito que isto seja inclusive um consenso dos que lerão este artigo, então não me demorarei nesse tema.


Personagens - Seriam as personagens da obra, dos protagonistas e antagonistas aos coadjuvantes, além da maneira que foram construídos e a relação deles com a obra.

Na minha análise é um empate de 10-10, ambos inovam nos antagonistas e os personagens principais são interessantíssimos, apesar de Gantz ser superior em coadjuvantes, levei mais em conta os tantos vilões e a forma como foram utilizados, por isso o empate. No entanto, poderia ser facilmente dado como vitória para Gantz. Torno a dizer: Mais personagens coadjuvantes emblemáticos, e personagens principais de apoio bem mais interessantes. A maioria dos fãs de Gantz fica no trio Caska-Griffith-Gutts; no outro caso, tem uma abrangência maior, sem dúvida alguma. Não só dos tantos Coadjuvantes bastantes presentes na obra, mas principalmente pelos protagonistas de apoio... Não é só "Gutts, Gutts, Gutts...". Alguém discorda que Berserk tem poucos personagens interessantes presentes no plot da JORNADA? Deixe nos comentários.


Diversidade - Esse ponto pode ser um pouco mais polêmico. Terminei em 10x10 novamente, mas muitos dirão que Berserk é superior e muitos outros dirão que Gantz é superior. A realidade é: Ambas as obras apresentam diversidade em seus personagens, cenas e cenários... Mas de modos dicotômicos. Um aborda uma realidade alternativa num típico medieval Europeu, e a outra obra abrange um Japão contemporâneo, mas com elementos de Sci-Fi entranhados na obra de diversas formas. A maior diversidade de Berserk pode ser vista nas batalhas, nos cenários, nos diversos exércitos, suas composições e principalmente antagonistas. Já em Gantz a dicotomia é nos protagonistas de apoio, nas cenas dramáticas e, como na primeira, principalmente nos antagonistas (Tanto Alien diferente pela obra da um tom louco, frenético e mesmo com certo asco, torna-se genial ao longos dos capítulos. Diversidade se relaciona com muita coisa, desde a Arte ao Roteiros... Mas fundamentalmente está ligado à Originalidade.



Condução - Adianto: Esta será a conclusão mais polêmica, pois defini 10-8 para Gantz. Por quê? Vamos lá.

Gantz é uma obra indubitavelmente complexa, de certo muitos consideram-a "confusa" (E um Seinen não tem tal direito? Ser confuso? Ser complexo? Causar medo, dissabor, desgosto?). Já Berserk é considerado também complexo, mas é incomum alguém chama-la de confusa, ou mal elaborada. Os arcos são bem feitos, o roteiro é bem estipulado, tudo bem amarrado. Mas num ponto fica chato (Não somente pelos hiatos, mas principalmente pela repetição). Todavia, como um mangá repetitivo pode ter diversidade? É ai que entra a ORIGINALIDADE: Berserk tem diversidade repetindo a mesma fórmula, acerta bem no desfecho e tudo mais, mas é um consenso notável que a leitura é pesada, as vezes lenta e até mesmo cansativa (Para alguns insuportável).

Empiricamente notei que mais gente desistiu de Berserk pela leitura cansativa, ou seja, erro de Condução, do que por hiatos (Que também é um erro por assim dizer).

Porém, os fãs de Berserk devem pensar que 10 a 8 ainda é um placar injusto, afinal, Gantz não é confuso?


Bem, confuso pode até ser. Mas não deixa de ser bem pensado e elaborado. Ser confuso não implica ser mal feito ou "furado", a obra foi bem montada e baseada em horror, e "loucuras intensas" tal qual Alice no país das maravilhas, talvez (Nas devidas proporções). E tudo isso num tom desprezível que somente Hiroya Oku consegue levar mantendo o plot, e a leitura fluida e quente... Isto é, mantendo a CONDUÇÃO da obra num nível equivalente nos diversos capítulos e arcos.

O Gradual de Gantz é equivalente ao de Berserk até meados da obra, mas em um ponto este fica lento, cansativo e retilíneo. Enquanto aquele outro, mantêm-se fluido, agressivo e emocionante (Intenso).

Destas afirmativas derivam a vitória de Gantz neste quesito. (Obs - Isso não faz da obra do Espadachim negro menos obra ou chata).



Arte - Níveis altos em ambas as obras (Traço, cenas de luta, cenas dramáticas e cenários), ambos possuem traços realistas, e Hiroya utiliza 3D na sua obra, enquanto, por sua vez, Miura intensifica a obra em detalhadas cenas de batalha... Detalhadas e antológicas.

Poderia ser empate? Sim. Mas serei o mais justo e imparcial possível neste caso: 10-9 Miura.

Por quê? Quesito dificuldade pode ser semelhante, ainda mais pelo uso do 3D nas cenas de Gantz... Mas a complexidade dos traços de Berserk é notável. Portanto, mesmo com DIFICULDADE equivalente em técnicas diferentes, Berserk é mais complexo e harmonioso... Isto é, mais trabalhoso, por assim dizer.


Originalidade -  10x8 para Gantz. Já citei os motivos, Berserk se torna repetitivo, cansativo e a história se passa no clichÊ medieval em guerra.. Já vimos isso em filmes, séries, livros, animes, mangás, jogos e por aí vai. Faz sucesso? Faz, claro! Mas não é tão original assim, tampouco os personagens. Mercenários e guerrilheiros básicos do período, Griffith foi idealizado como um nobre de sangue não azul e por aí vai, nenhuma grande inovação em roupas, cenários e armas... Nos apóstolos, talvez, mas o tema pagão e demônios é tão clichê quanto os Aliens de Gantz. Mas, percebam como os Aliens são usados em Gantz... Já de cara é algo bastante dicotômico e incomum... Um ALIEN CEBOLA, e por aí vai, desde dinossauros a bonecos. O Universo é mais amplo, mais surreal e, por conseguinte, ORIGINAL.

Por assim dizer... Podemos dizer que Gantz reinventou o que imaginamos de Aliens, em todas suas formas e diferenças, e mais ainda, criou um jogo bem criativo, mortífero e com INÚMERAS variáveis. Parte de premissas incríveis, pessoas mortas, uma sala... Caça, você volta vivo se não morrer no jogo e por aí vai, elementos psicológicos fantásticos derivados desta base criativa.


Roteiro - Outro empate em 10-10. Ambos tem falhas no roteiro, estritamente falando. E ambos não demonstram no roteiro sua melhor face... Lembrando que Plot e Roteiro tem divergências... Então história legal não significa bom roteiro e vice-versa.


Ficamos então com uma pontuação de 67 à 66 para Gantz. Vitória apertada, mas justificada. Em breve a parte 2 desse artigo sairá, comentando acerca dos comentários em oposição este artigo e aprofundando os temas discutidos... Agi num tom mais superficial e de pontuações breves propositalmente. Um dos objetivos era  ver a reação e as discordâncias, podendo assim ampliar minha própria visão e refutar de uma maneira geral, as discordantes.

Obrigado quem leu até aqui, caso concorde ou não. Acompanhe!



CANTUÁRIA. B CEO and Founder of Shounen Go!  
Shounen Go shounengo.com

A sua plataforma de mangá

Nenhum comentário:

Postar um comentário